Carregando

Institucional

Fundamentação teórica

A escola, devido ao fato de trabalhar com conteúdo e de desenvolver modalidades de pensamento bastante específicas, tem um papel diferente da família e insubstituível na apropriação pelo sujeito da experiência culturalmente acumulada.
Ao interagir com essas experiências, o ser humano amplia seus conhecimentos; aprimora suas habilidades; aprende a ler e a escrever; obtém o domínio de formas complexas de cálculos; torna-se persuasivo; constrói significados; lida com conceitos científicos, o que possibilita novas formas de pensamento, de inserção e de atuação em seu meio.
À medida que o aluno na escola expande seus conhecimentos, modifica sua relação cognitiva, age e interage de forma diferente com o mundo, tanto na ordem social, política e econômica.
Sendo assim, a escola deve proporcionar-lhe um ensino de qualidade que propicie melhores condições de apropriação dos conteúdos conceitual, procedimental e atitudinal.
Para isso, é indispensável que a proposta da escola fundamente-se em um eixo norteador, que para o Colégio Gardner é ser humano, ensino-aprendizagem, vida: cidadão feliz e consciente de seus direitos e de seus deveres.
Para o primeiro, ser humano, é necessário o entendimento de que somos iguais somente no número de cromossomos no momento da fecundação e que, a partir daí, o próprio agrupamento dos 46 cromossomos pode ser diferente em cada formação e desenvolvimento embrionário. Portanto, somos uma única combinação genética de nossos pais biológicos. Assim, não há possibilidade de evidência idêntica entre os seres. Dentro desta perspectiva, acabamos sendo um amontoado de gostos e, naturalmente, tendenciamos a crer que o nosso é melhor e mais bem quisto que o do outro, no entanto, física e cognitivamente, somos diferentes e precisamos ser percebidos como tal.
Para o segundo, ensino-aprendizagem, partindo do ponto de vista de que somos diferentes, cabe ao professor, por meio da observação, coletar, analisar e diagnosticar os conceitos elaborados já adquiridos pelas crianças e pelos jovens, a partir das relações por eles já vivenciadas, para ter um ponto de partida a fim de que se consiga, eficientemente, provocar o diálogo constante deles com o conhecimento, garantindo a sua reelaboração, apropriação e ampliação.
Para o terceiro, vida, levando em consideração os fatos de que se é diferente e de que se aprende de forma diferente e, consoante, aplica-se uma estratégia eficaz, críticos e sociáveis, constroem-se as nossas crianças e os nossos jovens. Portanto, desse modo, sabem posicionar-se autonomamente frente às discussões e às decisões tomadas, pois possuem o saber; o que é mais importante para a vivência e a convivência, no mundo atual globalizado e competitivo.
Ao se tratar de concepções de aprendizagens, pode-se afirmar que, desde a antiguidade, o inatismo e o empirismo (ambientalismo) auxiliaram na construção do conhecimento na sociedade, oscilando, em diferentes momentos históricos, o relevo de um em relação ao detrimento de outro.
Assim, o Colégio Gardner desenvolve também o sociointeracionismo (histórico-social), pois acreditamos que é, nele, que o pedagógico passa a ter um sentido ético evidente, pelo fato de propiciar condições, dentro das limitações de cada um (estudos cognitivistas), para desenvolver os seus conceitos e as suas habilidades e de não permitir a classificação das crianças e dos jovens em capazes ou em incapazes de fazer, já que aprendem a aprender, para aprender a fazer, para aprender a ser e para aprender a conviver.
Considerando o fato de que o ser humano é dotado de Múltiplas Inteligências, como estudado e comprovado por Howard Gardner, entendemos que o biológico está diretamente ligado ao ensino-aprendizagem junto às condições oferecidas ao desenvolvimento cognitivo, social e humano de cada pessoa e, portanto, a interação entre aluno e conhecimento, mediada pelo professor, subsidiada pelos princípios educacionais do Verdadeiro, do Belo e do Bom, dá-se por meio da ação daquilo que se consegue fazer com a ajuda do outro, para que se consiga fazer sozinho. Essa interação, marcada pela presença da interdisciplinaridade e da educação ambiental, é, desse modo, responsável pela construção dos novos saberes, projetando a aplicação desse conhecimento em um desenvolvimento global sustentável, desde que Disciplina, Síntese, Criatividade, Respeito e Ética – as Cinco Mentes – sejam nortes e objetivos do trabalho, pois, segundo Gardner “Não basta ao homem ser inteligente. Mais do que tudo, é preciso ter caráter (Ralph Waldo Emerson – 1803-1882). E emenda: “O planeta não vai ser salvo por quem tira notas altas nas provas, mas por aqueles que se importam com ele.”